Câncer de estômago

Dificilmente o Câncer de Estômago é diagnosticado em estágio inicial, muitas vezes porque não causa nenhum sintoma específico.

Quando estes ocorrem, podem ser vagos e confundir com afecções benignas, podendo incluir sintomas como: indigestão ou azia, dor ou desconforto abdominal, náuseas e vômitos, diarreia ou prisão de ventre, sensação de inchaço do estômago após as refeições, perda de apetite, sensação da comida ficar presa na garganta enquanto se come. Além da perda de peso fraqueza e fadiga.

O câncer de estômago pode ser tratado com cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou terapia-alvo.

Em geral, uma combinação desses tratamentos é utilizada pela equipe médica para realizar o tratamento. As recomendações dependem de vários fatores, incluindo o tipo e extensão do câncer, possíveis efeitos colaterais, e as preferências do paciente, além de seu estado de saúde geral.

Câncer de esôfago

O câncer de esôfago surge no tecido que reveste internamente o órgão.

Na sua fase inicial, o câncer de esôfago habitualmente não apresenta sintomas. Muitos dos sintomas apresentados por pacientes com câncer de esôfago são inespecíficos e comuns a outras doenças. Entre os possíveis sintomas estão:

  • Dificuldade ou dor ao engolir;
  • Azia;
  • Dor atrás do osso esterno;
  • Sensação de obstrução à passagem do alimento;
  • Náuseas e vômitos;
  • Rouquidão e tosse;
  • Perda do apetite;
  • Perda de peso, que pode chegar até 10% do peso corporal.

O câncer de esôfago pode ser descoberto através de radiografia com uso de contraste. Contudo, o diagnóstico é mais frequentemente realizado através de uma endoscopia digestiva.

Em alguns casos é realizada a cirurgia de esofagectomia.

Especializado em esofagectomia